História da Eslováquia

Apesar de frequentemente passar despercebida, a história da Eslováquia é fascinante nos mais diversos tópicos: Desde sua importância no desenvolvimento da Europa e sua importância dos moldes fronteiriços atuais do Continente, até sua importância geográfica e paleontológica.
O território que hoje encontra-se a Eslováquia foi ocupado por tribos primitivas, cujos vestígios de civilização datam de 27.000 a.C, na era Paleolítica. Os tesouros arqueológicos descobertos nas montanhas e cavernas eslovacas possuem importância magnâmima para a história do mundo. Atualmente, a descoberta de maior destaque na Eslováquia é a Vênus de Monravany, que é a mais antiga estátua feminina, datada de 22.800 a.C, e entalhada em osso de mamute.
Não se sabe ao certo quando os hunos chegaram ao local porém o marco temporal da saída dos hunos do terreno durante o século IV e V incentivou a vinda do povo eslavo, que ainda hoje se mantêm na Eslováquia. Os eslavos desenvolveram um grande império na região central da Europa – o que hoje corresponderiam parte da Hungria, baixa Áustria, Boêmia, Silésia, sul da Polônia e norte da Sérvia, além da Eslováquia – chamado de Império Morávio. Este império foi um símbolo de prosperidade e comércio da região, sendo que na Eslováquia ainda há vestígio arquitetônico da época, a Igreja Kopčany.
Com a dissolução do Império Morávio no século X, o território da atual Eslováquia passou a pertencer ao Reino da Hungria. A região, por sua vez, prosperou economicamente e politicamente. Durante o século XVI, o império turco-otomano atacou o Reino da Hungria, conquistando parte do território; devido a isso, Bratislava – atual capital da Eslováquia – passou a ser a capital do Reino da Hungria, que logo seria o Império Austro-Húngaro. Parte do império Austro-Húngaro, no século XVII, Bratislava se tornou a maior cidade da região, considerada então a capital da cultura, economia e política, com a construção de palácios, mosteiros e igrejas.
Apesar de sua importância conquistada, a capital do império foi transferida de Bratislava para Viena, e no século XVIII foram notados as primeiras movimentações para a independência Eslovaca. Após a Primeira Guerra Mundial, o Império Austro-Hungaro chegou ao fim, sendo que em 1918 a Eslováquia, junto ao território de Boêmia e Morávia, seria declarada a Tchecoslováquia.
A influência nazista logo caiu sobre a Europa, e a região da Tchecoslováquia foi dominada pela Alemanha Nazista. Durante esse espaço de tempo a Eslováquia chegou a se tornar uma república separada em 1938, porém, após o fim da Segunda Guerra Mundial a Tchecoslováquia foi reconstituída. A Guerra Fria se abateu em seguida sobre o território da atual eslováquia, e de 1945 em diante a Tchecoslováquia tornou-se zona de influência da União Soviética e tornou-se parte da conhecida “Cortina de Ferro”.
O regime comunista perdurou meso após o fim da Guerra Fria, e deixou de existir apenas em 1989 (após vários movimentos anti-comunistas como a Primavera de Praga de 1968) com a Revolução do Veludo. Esta revolução foi pacífica, resultando em eleições livres em 1990 e culminaram na separação da Tchecoslováquia em dois Estados sucessores: a Eslováquia e a República Tcheca, que tornaram-se oficias em 1º de Janeiro de 1993.

Após a divisão, a Eslováquia adotou novos símbolos nacionais, compostos por seu brasão, bandeira, hino nacional e emblema de Estado.

O desenvolvimento da nova República da Eslováquia recebeu grande atenção durante seus primeiros anos, devido à grande expansão econômica do país. Apesar de ser um Estado recente, a Eslováquia é vista na Europa como o país pós-comunista mais bem sucedido.

Em 2004 a República da Eslováquia foi oficialmente aceita como membro da União Europeia, e integrou a Zona do Euro em 2009, sendo um dos melhores mercados emergentes da Europa atualmente.
Hino Nacional:

O hino nacional da Eslováquia possui valor histórico e cultural, uma vez que representa a atitude dos eslovacos durante a dominação húngara, passa pelo renascimento do nacionalismo e a separação da Eslováquia como um país livre e independente.

Nad Tatrou sa blýska, hromy divo bijú, nad Tatrou sa blýska, hromy divo bijú.
Zastavme ich bratia, veď sa ony stratia, Slováci ožijú, zastavme ich bratia, veď sa ony stratia, Slováci ožijú.
To Slovensko naše dosiaľ tvrdo spalo, to Slovensko naše dosiaľ tvrdo spalo.
Ale blesky hromu vzbudzujú ho k tomu, aby sa prebralo, ale blesky hromu vzbudzujú ho k tomu, aby sa prebralo.

(Tradução livre)
Sobre os os relâmpagos do Trata, a tempestade cai de forma selvagem. Sobre os relâmpados do Trata a tempestade cai de forma selvagem.
Vamos impedí-los, irmãos, eles vão ficar perdidos, os eslovacos irão ascender vivos. Vamos impedí-los, irmãos, eles vão ficar perdidos, os eslovacos irão ascender vivos.
Nossa Eslováquia estava em sono profundo até agora. Nossa Eslováquia estava em sono profundo até agora.
Mas as luzes dos trovões estão tremendo para este renascimento. Mas as luzes dos trovões estão tremendo para este renascimento.